Comunidade

Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt

Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt

Para se falar da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt, tem que se falar do Movimento Apostólico de Schoenstatt e do Pe. José Kentenich, seu fundador.

 
O Movimento Apostólico de Schoenstatt nasceu em 18 de outubro de 1914, quando o Pe. Kentenich e um grupo de jovens seminaristas palotinos, celebrou a Aliança de Amor com Nossa Senhora, convidando-a a estabelecer seu trono de graças na pequena capela, dedicada a São Miguel, existente no terreno do seminário, em Schoenstatt, Alemanha. Em contrapartida, eles ofereceriam a Ela suas contribuições ao Capital de Graças. Seu objetivo era renovar o homem para renovar a sociedade.

 
O Movimento cresceu e se expandiu para todos os continentes, tendo chegado ao Brasil, através das Irmãs de Maria de Schoenstatt, em 1936.
Em 1947 o Pe. Kentenich veio ao Brasil pela primeira vez e, uma de suas primeiras falas foi: “Vim para experimentar aqui as glórias da querida Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt (…) preparar e expandir ainda mais a glorificação da Mãe de Deus.” Esta fala parece que foi o prenúncio da Campanha!

 
O primeiro Santuário Filial de Schoenstatt no Brasil, é o de Santa Maria-RS, que teve sua pedra fundamental lançada em 7 de setembro de 1947 e, em 11 de abril de 1948 recebeu a bênção de inauguração, através do Bispo Diocesano Dom Antônio Reis. Lá estavam o Pe. Kentenich e o Sr. João Luiz Pozzobon.

 
O Sr. Pozzonbon pertencia à Liga dos Homens de Schoenstatt. Em 10 de setembro de 1950, ano da declaração do dogma da Assunção de Nossa Senhora, ele foi convidado pela Irmã Terezinha Gobbo a levar a Imagem da Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt para visitar as famílias. Missão que aceitou e desempenhou pelo resto de sua vida.

 
Assim nasceu a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt. De Santa Maria ela se estendeu por todo o Brasil e chegou também à Arquidiocese de Belo Horizonte, oficialmente, em 31 de maio de 1987.

 
A primeira imagem da Mãe Peregrina, em nossa Arquidiocese, começou sua peregrinação, sob os cuidados de Da. Maria da Piedade Campos, conhecida como Da. Piedade. Foi no Bairro Nações Unidas, onde ela morava, na cidade de Sabará. D. Piedade ainda é viva. Por questões de saúde e, pela idade avançada, está com mais de 90 anos, não é mais missionária.

 
Hoje, a Campanha da Mãe Peregrina está presente em quase toda a Arquidiocese de Belo Horizonte. Ela está estruturada, seguindo a mesma divisão adotada pela Arquidiocese, a saber: quatro Regiões Episcopais, Nossa Senhora Aparecida, N.S. da Conceição, N.S. da Esperança e N.S. da Piedade que por sua vez se subdividem em Foranias, sendo que cada Forania é composta por Paróquias.

 
Em virtude desta estrutura temos, na Arquidiocese, a Equipe Arquidiocesana, que coordena as atividades da Campanha, na mesma. Esta Equipe é composta por um casal arquidiocesano e mais quatro casais, cada um responsável pela coordenação de uma das Regiões Episcopais, juntamente com a Irmã Assessora.

 
Atualmente temos em torno de 3000 imagens Peregrinas que visita as famílias, crianças, jovens e enfermos. A Campanha da Mãe Peregrina tornou-se semente para o crescimento do Movimento Apostólico e do Santuário Tabor da Liberdade em Confins.

 
Se você tem interesse em receber a visita da Mãe Peregrina, pode entrar em contato com a Secretaria do Santuário Tabor da Liberdade, que o encaminhará para o coordenador da Região onde você mora e vai encaminhá-lo para um grupo.


© 2019 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite