Segunda Semana do Advento

11 de dezembro de 2019

Sob a Proteção de Maria

 

Nessa caminhada reflexiva do Tempo do Advento, a Mãe de Deus vem em nosso auxilio nos preparando para receber o Salvador. Ela vem preparando o nosso coração para que seja um manjedoura, quente e acolhedora, onde o Menino Santo e Senhor de todas as coisas, poderá repousar.

 

Nós Iniciamos a Segunda Semana do Advento celebrando a Imaculada Concepção da Virgem Maria. Deus quis preparar a encarnação do Verbo dando “uma digna habitação para o seu filho pela imaculada conceição da Virgem Maria, preservando-a de todo pecado em previsão dos méritos de Cristo” (Oração da Coleta – Missa da Imaculada Conceição). E nós somos convidados à imitar as virtudes de nossa querida Mãe, preparando o nosso coração para que Deus também possa nascer em nossa vida.

 

O Catecismo da Igreja Católica nos ensina:

 

«Deus enviou o seu Filho» (GI 4, 4). Mas, para Lhe «formar um corpo» (129), quis a livre cooperação duma criatura. Para isso, desde toda a eternidade, Deus escolheu, para ser a Mãe do seu Filho, uma filha de Israel, uma jovem judia de Nazaré, na Galileia, «virgem que era noiva de um homem da casa de David, chamado José. O nome da virgem era Maria» (Lc1, 26-27):

 

«O Pai das misericórdias quis que a aceitação, por parte da que Ele predestinara para Mãe, precedesse a Encarnação, para que, assim como uma mulher contribuiu para a morte, também outra mulher contribuísse para a vida (130).

 

O Padre Kentenich, na profundidade deste mistério, enxergava claramente a grandeza do amor do Pai:

 

“Desde a eternidade o Pai incluiu Maria em seu plano universal e em seu plano de redenção. Ele a escolheu entre todas as mulheres e a preservou da culpa do pecado original. Pensemos na festa da Imaculada! Quanto amor e sabedoria o Pai demonstrou ao criar a Santíssima Virgem, preparando aquela morada que acolheria seu Filho Unigênito!”

 

O caminho do Advento não deve ser feito sozinho, mas com a Mãe. É Maria Imaculada que vai nos ensinar como preparar o coração para que o Filho amado possa nascer, “com alguns paninhos e uma montanha de ternura”, Ela consegue transformar o estábulo das misérias do nosso coração em uma lindo palácio digno do Rei dos Reis.

 

Nós reconhecemos nossa pequenez e indignidade, nossas limitações e pecados, mas a partir do momento em que nos entregamos aos cuidados da Mãe, Virgem e pura, podemos confiar que Ela realizará milagres.

 

 

Acaso não sabeis que sou da Imaculada

 

Ao nos consagrarmos à Nossa Senhora, pedimos a Ela que nos eduque para que sejamos como Ela, Sacrários Vivos a levar Jesus ao mundo. Pedimos que nos ensine a sermos puros e nos afaste de toda corrupção e pecado. Pedimos que Ela esmague a cabeça da serpente, o antigo inimigo, que insiste em espalhar os filhos de Deus. Sob a sua proteção imaculada, queremos nos tornar personalidades firmes, livres e sacerdotais, assumindo verdadeiramente a nossa missão batismal de sacerdotes, profetas e reis.

 

Através da Aliança de Amor, nos entregamos inteiramente aos cuidados da Mãe Imaculada. Nós trocamos de coração, e no nosso peito bate o Coração de Maria, “gravado com letras de sangue e fogo”.

 

 

Ainda na segunda semana do Advento…

 

Dia 12 de dezembro celebramos Nossa Senhora de Guadalupe. De todas as aparições marianas, esta é a que mais me encanta. A Mãe olhou para a opressão do seu povo latino-americano, e no meio de nós manifestou a sua presença.

 

Em 1531, nossa Senhora aparece ao índio, hoje santo, Juan Diego e lhe pede para que o bispo construísse uma igreja naquele local de aparições. Juan Diego em meio às suas dúvidas, angústias e aflições, decide mudar o caminho que sempre fazia, mas a Mãe o encontrou e lhe disse: “O que acontece meu filhinho mais pequeno? Aonde vais? Que não se perturbe o seu rosto, nem seu coração. Não temas esta doença nem nenhuma outra, não fiques aflito, não estou eu aqui, que sou sua mãe? Você não está debaixo da minha sombra e sob o meu cuidado? Não sou eu a fonte da sua alegria?”

 

Hoje nossa Mãe Admirável, sempre pura e Imaculada, Mãe e Senhora da América Latina, também nos encontra neste caminho de aflições e dúvidas e nos pergunta: “O que acontece meu filho?” Quais são nossas dores? Quais são as nossas saudades? Os nossos traumas? “Filhinho (…) não fiques aflito, não estou eu aqui, que sou sua mãe? Você não está debaixo da minha sombra e sob o meu cuidado? Não sou eu a fonte da sua alegria?”

 

A Mãe Admirável quer fazer este caminho conosco, Ela quer nos educar na pureza, nos cobrir com  a sombra do seu cuidado, para que no glorioso dia do Natal nós passamos dizer: “Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo o Senhor”!

 

Maranathá. Vem Senhor Jesus!

 

 

O universo, com alegria, dê glória ao Pai, no Espírito Santo, em seu esplendor, louve-o por Cristo e com Maria, agora e na eternidade. Amém. (Rumo ao Céu Ofício de Schoenstatt)

 

 

 

Por Kennedy Rocha

* Kennedy Rocha pertence ao Ramo da Liga de Famílias de Schoenstatt do Santuário Tabor da Liberdade

 

Compartilhe

© 2020 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite