“Para mim é uma emoção estar na casa de Maria, no Tabor da Liberdade!”

3 de março de 2021

 

O mais recente Bispo Auxiliar ordenado na Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Nivaldo dos Santos Ferreira, esteve presente no Santuário Tabor da Liberdade para celebrar a Santa Missa do 2º Domingo da Quaresma, dia 27 de fevereiro de 2021.  Ordenado no dia 11 de fevereiro, Dom Nivaldo assumiu a Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida (RENSA).

 

O bispo iniciou seus cumprimentos agradecendo a todos que de alguma forma contribuem para a igreja, tantos os leigos quanto os consagrados. Destacou a grande alegria de celebrar a eucaristia sendo uma oportunidade de fazer um encontro vivificador com Nosso Senhor Jesus Cristo que nos salva.

 

Afirmou ser uma emoção ainda maior porque estava naquele lugar que é todo especial, casa de Maria, Tabor da Liberdade. “Viemos aqui para escutar, assim como Maria, as palavras vivas de Jesus, que nos dá uma missão e abre nosso coração para que Deus faça sua obra.”

 

Aqui é bom estar

 

Na homilia, Dom Nivaldo agradeceu ao Movimento de Schoenstatt por ser esse caminho evangelizador incrível estando sempre com as imagens à frente tornando nossas casas uma igreja doméstica. Agradeceu pelo belíssimo trabalho evangelizador dos filhos e filhas de Deus e, também, filhos e filhas da Mãe Deus.

 

Utilizou as palavras do apóstolo Pedro no Evangelho, para dizer como é bom ficar no Santuário: “é uma experiência transformadora e transfiguradora de nossas percepções!”

 

Às vezes é preciso se retirar, subir no alto do monte para “enxergar “com os olhos do coração as revelações de Deus para conosco. As provações de fé presentes nesse evangelho do segundo domingo nos faz aproximar ainda mais do coração de Deus.

 

Finalizou falando da proposta lindíssima da Campanha da Fraternidade ecumênica que acontece a cada cinco anos, e que está em comunhão com a fraternidade e amizade social contida na última Encíclica que o Papa Francisco escreveu “Fratelli tutti”.

 

Ainda ressaltou que, a Campanha da Fraternidade enfatiza que o diálogo é o único capaz de garantir a nossa verdadeira identidade Cristã. “Deus dialoga comigo todo o tempo. Deus é acolhida, interlocução, é diálogo!”

 

Dom Nivaldo finaliza, inspirado nas palavras de Maria – “Fazei tudo o que ele vos disser” – Do alto da Cruz, Jesus nos pede para amar uns aos outros como ele nos amou e perdoar principalmente nossos inimigos.

 

Por Rita de Cássia Muniz Carvalho

 

 

 

 

Compartilhe

© 2021 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite