ESTA FOI UMA FESTA DIFERENTE!

21 de maio de 2020

 

 

Enfim vivemos uma festa diferente. Habituados que estávamos a celebrar os aniversários do Tabor de Liberdade com grandes multidões acorrendo ao Santuário, agora o vemos vazio.

 

As alamedas desertas respondiam a um apelo humano de afastamento para evitar contaminações.

 

O mundo, invadido por um mal desconhecido, se rende.

 

Os homens, tomados por um temor de morte, se afastam e são obrigados a deixar de lado a convivência saudável e os abraços calorosos.

 

Então, a Mãe decidiu comemorar o aniversário da sua casa de uma forma diferente. Ao invés de receber os seus peregrinos de braços abertos, ela foi ao encontro deles.

 

Coisas de Mãe! Carinhos inesgotáveis que somente um coração de Mãe é capaz de imaginar e de demonstrar aos seus filhos!

 

Parece que Ela queria dizer aos seus ausentes peregrinos que continuava presente e estava atenta às suas angústias.

 

Assim, saiu distribuindo graças e encorajando a todos, como a lembrar as palavras de Jesus, na liturgia do dia: Não os deixarei órfãos!

 

E a Mãe, na sua infinita bondade, completava os ensinamentos do Evangelho, permanecendo com os seus filhos neste imenso cenáculo, aguardando a vinda do Paráclito.

 

O passeio da Mãe pelos caminhos onde se encontravam os seus filhos parecia uma festa no céu, tamanhas as demonstrações de carinho e de amor que Ela recebia na passagem.

 

Os fiéis estendiam os braços num desejo de estar mais perto para tocar ao menos, num pequeno pedaço do seu manto.

 

Os joelhos que se dobravam à passagem da Mãe e as lágrimas que escorriam pelos rostos macerados dos filhos angustiados traduziam uma crença inesgotável e uma confiança sem limites no seu poder de intercessão.

 

“Toma, Mãe, as nossas dores e as nossas angústias são uma corrente oferecida ao seu capital de graças. Toma, e com este capital de graças, assume o cetro e reina sobre as nossas vidas! Nós te coroamos como Rainha da Liberdade!”

 

O mundo está aflito, e esta festa dos dezessete anos do Tabor da Liberdade, teve um sabor de confiança e de esperança.

 

Nós como filhos da Mãe Três Vezes Admirável, nos colocamos de joelhos para renovar a certeza de que esta angústia e este medo vão passar! Nós não estamos órfãos!

 

De fato, esta foi uma festa diferente! A Mãe foi ao encontro dos seus filhos!

 

Por Lucídio Araujo

20 de maio de 2020

 

Compartilhe

© 2020 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite