Coronavírus: Carta à Campanha da Mãe Peregrina do Tabor da Liberdade

19 de março de 2020

“Como teu Filho, quando ainda estava aqui na terra, saciava a fome, consolava e curava os doentes, passa silenciosamente, com Ele, em nosso meio, abençoando e concedendo-nos a onipotência de teu braço maternal”    (Pe. José Kentenich, Rumo ao Céu, 507).

 

A Assessora da Campanha da Mãe Peregrina na Arquidiocese de Belo Horizonte e Sete Lagoas, Irmã Adriane Maria Andrade Barbosa envia uma carta aos missionários e coordenadores:

 

Estimados coordenadores e missionários da Campanha da Mãe Peregrina do Tabor da Liberdade,

 


“Estamos atravessando uma grave crise da pandemia do coronavírus. É uma situação séria, é a vez de viver isto em tempo de Quaresma, em tempo de conversão por meio da oração, da penitência, do sacrifício voluntário em forma de jejum ou de outras renúncias. Gostaria de propor-vos que tomemos este tempo como um desafio espiritual em nossa vida de Aliança:

 

Muitas atividades são suspensas. Aproveitemos para rezar mais e cultivar a nossa vida interior. Deus se vale de tudo, também das realidades mais duras, para o nosso próprio bem e o bem de todos. O Pe. Kentenich interpretou audazmente a mesma guerra como um grande retiro que Deus pregou à Europa.  Não podemos ver, nesta emergência internacional pela pandemia do Covid-19, que Deus nos convida a um grande “Retiro de Quaresma”?

 

O lema de vários países: “fique em casa” – #YoMeQuedoEnCasa# – é um desafio a cultivar mais forte e mais criativamente a vida familiar, o diálogo, o cuidado de nossos entes queridos, o jogo com as nossas crianças, chamar amigos e também a dar nova vida ao nosso Santuário Lar.

Mesmo que tenhamos que guardar distância física, somos chamados à maior proximidade e solidariedade interior.  Devemos tomar as medidas que cada governo e cada igreja local decida, com seriedade e responsabilidade. Sem dramatismo, mas com muita seriedade e responsabilidade. O Pe. Kentenich ensinou-nos muitas vezes: “Cuidem-se, mas sem medo!” […] podemos ajudar muitos a levar a sério estas medidas, mas acima de tudo acompanhar e ajudar muitos a manter a serenidade e a calma. Também este é um apostolado neste momento.

 

Nestes dias celebramos a Festa de São José e um pouco mais tarde a Festa da Anunciação. Temos várias oportunidades de estar unidos na oração […] Esta  é a paixão de Jesus que nos toca acompanhar particularmente este ano. Como Maria os acompanhamos ao pé da cruz.”[1]

 

Com esta carta gostaria de comunicar aos coordenadores e missionários da Campanha da Mãe Peregrina que tenhamos precaução referente à visita da Mãe Peregrina aos lares. Pedimos que:

 

    • A imagem dos enfermos requer maior cuidado em relação às visitas, melhor permanecer com o missionário e avisar aos enfermos que sua ausência será temporária,

 

    • A imagem das famílias, o quanto possível permanece peregrinando para ajudar as pessoas nesta hora de pânico. Peço somente que tomem os devidos cuidados de higienização e naturalmente em concordância com as famílias visitadas,

 

    • O encontro do dia 29 de março da Arquidiocese de Belo Horizonte será adiado. O encontro da Diocese de Sete Lagoas no dia 19 de abril ainda está em reflexão.

 

 Podemos “Crescer na entrega, na confiança serena e responsável nos planos do Deus providente, agora temos a oportunidade de fazer bom uso do tempo, quando não podemos realizar atividades externamente.”[2]  Rezemos uns pelos outros e cultivemos a confiança.

Ir. Adriane Maria Andrade Barbosa,

Assessora da Campanha da Mãe Peregrina na Arquidiocese de Belo Horizonte e Sete Lagoas

Em 18/03/2020

[1] Conf. Pe. Juan Pablo Catoggio.  Presidência Internacional da Obra de Schoenstatt. Schoenstatt, 16 de março de 2020

[2] Pe. Juan Pablo Catoggio.  Presidência Internacional da Obra de Schoenstatt. Schoenstatt, 16 de março de 2020

 

 

 

Compartilhe

© 2020 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite